Os contribuintes que em 2018 tiveram rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 ou R$ 142.798,50 para atividade rural, devem declarar neste ano.

O Programa Imposto de Renda 2019 foi liberado pela Receita em 25 de fevereiro.

O período de entrega das declarações 2019 será entre 07 de março e 30 de abril.

Confira algumas dicas de como utilizar o programa de imposto de renda, aplicativos relacionados e os recursos disponíveis para cada um! Assim, além de realizar uma entrega mais segura da declaração, do mesmo modo, o contribuinte se previne da malha fina.

Como fazer o download do Programa Imposto de Renda

Para fazer a declaração imposto de renda 2019 sobre os ganhos e despesas referentes ao ano de 2018, é necessário baixar o programa de IRPF.

Como instalar o programa IRPF 2019

Para instalar o programa da Receita Federal em seu computador separamos um vídeo atualizado deste ano. Além disso, caso seja de sua preferência, também deixamos as instruções com as imagens de cada etapa:

  • Faça o download do programa da Receita Federal 2019.
  • Logo após o download ter sido concluído, abra a pasta de download e abra o programa.
  • Eventualmente, caso o Programa solicite permissões para alterações, clique em “Sim”.
Programa Imposto de Renda
Programa Imposto de Renda – Alterações no seu dispositivo.
  • Em seguida, uma janela abrirá avisando que a instalação do programa começará, clique em “Sim”.
Instalação Programa Imposto de Renda 2019
Instalação Programa Imposto de Renda 2019
  • Logo depois, na apresentação do Programa, clique no botão “Avançar”.
Programa de IRPF – Instalação
  • Por fim, o programa solicitará qual diretório deve ser instalado. Geralmente, o diretório é a pasta “Arquivos de programas”. Clique em “Avançar” ou clique em outro arquivo de seu interesse.
Programa-de-IRPF
Programa-de-IRPF-Localização-de-Destino
  • Finalmente, clique em “Avançar” nas opções de instalação.
Programa Imposto de Renda – Copia de Arquivo
  • Logo após o programa ser instalado, finaliza clicando em “Concluir”.
Programa Imposto de Renda
Programa Imposto de Renda – Concluído

Modo de uso do programa da Receita Federal

  • para utilizar o serviço Meu Imposto de Renda, será exigido o CPF, a data de nascimento e, em seguida, a informação, na própria tela, de um código de segurança exibido logo acima das teclas para seleção;
  • caso as informações acima estiverem corretas, será mostrada uma lista com os últimos cinco anos e a situação de cada declaração;
  • dentro de cada ano, existem diferentes opções que se modificam conforme a situação da declaração;
  • logo depois de entregar a declaração, use as opções de impressão para gerar e salvar os PDF’s do recibo de entrega, declaração e, conforme o caso, do DARF para pagamento da primeira quota ou quota única do imposto;
  • ademais os arquivos da declaração e recibo (DEC e REC) podem ser salvos ou compartilhados, para serem guardados em algum serviço de nuvem de sua preferência. Ficando assim protegidos, por exemplo, no caso de perda ou danificação do aparelho.

Recursos disponíveis do programa de Imposto de Renda

  • Meu Imposto de Renda – para fazer a declaração;
  • Acompanhar declaração – para consultar e ser notificado sobre mudanças no processamento da declaração;
  • Perguntão – para pesquisar centenas de perguntas respondidas sobre o IRPF;
  • Orientações – para obter informações gerais sobre o Meu Imposto de Renda e seus termos condições de uso.

Qual é o prazo para a entrega do IRPF 2019?

A Receita Federal liberou o programa para declaração do imposto de renda 2019 no dia 25/fevereiro. Ficou definido o período de entrega para os contribuintes entre 7/março e 30/abril de 2019. Assim sendo, algumas medidas básicas devem ser tomadas pelo contribuinte. Uma delas é preparar os documentos necessários para fazer a declaração de IRPF.

Quem deve declarar o IRPF 2019?

Confira na lista abaixo quais são os critérios estabelecidos pela Receita Federal que determinam quem deve declarar o imposto de renda 2019:

  • contribuintes que receberam ao longo de 2018, rendimentos tributáveis (salário, veículo e pensão alimentícia, por exemplo) que totalizaram mais de R$ 28.559,70;
  • assalariados, aposentados ou pensionistas com renda mensal superior a R$ 1.903,98;
  • contribuintes que tiveram rendimentos não tributáveis (seguro-desemprego, vale-transporte e indenização por roubo, por exemplo) acima de R$ 40.000,00;
  • enquanto isso, para trabalhadores rurais é obrigatório fazer a declaração do imposto de renda, caso o rendimento anual bruto de renda rural tenha sido superior a R$ 128.308,50;
  • contribuintes que investiram qualquer valor em ações em bolsa, criptomoedas ou similares;
  • contribuintes com imóvel ou terrenos em suas posses, com valor superior a R$ 300 mil;
  • trabalhadores que optarem pela isenção de imposto de renda 2019 sobre o valor da venda de imóveis, desde que esse valor seja usado para a compra de outro imóvel no Brasil em até 180 dias.

Vale lembrar que, a falta da entrega da DIRPF (Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física) para quem tem obrigatoriedade no envio, pode ter graves consequências, ocasionando prisão pelo período de até 2 anos ao contribuinte.

Powered by Rock Convert

Como fazer a declaração de imposto de renda 2019

Baixe o programa

Siga o passo a passo que já te passamos nesse artigo. Se preferir usar o celular, também é preciso baixar o aplicativo da Receita Federal. Acesse a loja disponível em seu dispositivo. Basta procurar pelo aplicativo IRPF e fazer o download.

Tenha os documentos e comprovantes organizados

Reúna os documentos e comprovantes. Alguns deles são:

  • Informes de rendimento que trazem os valores recebidos em 2018;
  • Comprovantes de despesas que poderão ser abatidas como, por exemplo, plano de saúde, faculdade, consultas médicas, etc;
  • Documentos que comprovem a compra de bens como carros e casas, entre outros.

Visto que essa documentação deve permanecer em arquivo por até cinco anos. Esse é o prazo em que a Receita pode solicitar os documentos.

Preencha os dados

Para começar, clique em Nova Declaração. Mas, caso esta não seja a primeira vez que você faz a declaração, é possível importar os dados da declaração passada e atualizá-los. É importante preencher a declaração com todos os seus bens de direito e rendimentos. Não esqueça também os valores que constam em contas bancárias, fundos de investimento, posses de bens e ainda valores e rendimentos dos dependentes.

Surpreendentemente, o programa é didático e intuitivo. Por isso, o preenchimento, apesar de ser feito com muita atenção, não é complicado.

Selecione o modelo de tributação

Após preencher todos os dados, é hora de selecionar o modelo de tributação. Simplificada ou completa, sendo que o próprio programa mostra a opção mais vantajosa para você a partir das informações fornecidas.

Confira o resumo de dados

Agora, acesse o resumo de dados da declaração e confira tudo, acertando possíveis incorreções. Esse resumo traz os rendimentos e bens do contribuinte. Ele também apresenta a quantidade de impostos a serem pagos (junto com a emissão do Documento de Arrecadação de Receitas Federais – DARF) para a Receita Federal e o valor da restituição – se for o caso.

Entregue a declaração

Feita a conferência de informações, clique em entregar a declaração – lembrando que para fazer a transmissão do documento é preciso baixar o programa Receitanet. Recomendamos que antes de fazer a entrega, o contribuinte submeta a declaração à plataforma de análise IR sem Erro, a fim de identificar possíveis erros ou inconsistências que o levem a ser retido na malha fina.

Imprima ou salve o recibo

Assim que o envio é concluído, é gerado o recibo que deve ser impresso. É com o número que consta nesse documento que você poderá corrigir possíveis informações na declaração, importar conteúdos, etc. 

Como declarar dependente

Uma das principais novidades é que a partir deste ano é necessário declarar todos os dependentes, independentemente da idade. Até o ano passado esse procedimento era obrigatório para maiores de oito anos. A partir de 2019 é preciso informar o Cadastro de Pessoa Física (CPF) de todos os dependentes no programa Imposto de Renda.

O que é a restituição do Imposto de Renda?

Ela faz referência a devolução, por parte do governo federal, da quantia a mais paga de imposto pelo contribuinte. Isso pode acontecer devido aos fatores que contribuem na redução da alíquota ou aumentar o desconto do tributo.

Como receber mais restituição?

Muitas pessoas ficam decepcionadas com a pequena quantia recebida no momento da devolução do tributo por parte do governo. No entanto, há algumas estratégias que ajudarão a receber uma maior restituição. Explicaremos cada uma delas detalhadamente na sequência do artigo.

Fazer investimentos na previdência privada

Quem investe no plano de previdência do tipo Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) tem direito a receber a restituição de até 12% da quantia destinada nesse investimento. É importante ressaltar que esse modelo é dedutível de Imposto de Renda (IR) também às pessoas que contribuem para a previdência pública, como os servidores públicos e os trabalhadores do setor privado.

Declarar gastos com saúde, educação e pensão

Todas as despesas relacionadas com saúde, educação e pensão são dedutíveis do IR. Por isso, é fundamental guardar todos os recibos com esses dados para que possa preencher as informações corretamente. Vale destacar que a Receita Federal tem aprimorado na fiscalização e faz o cruzamento de dados com o intuito de verificar se eles estão corretos. Em caso de erros ou inconsistências, o contribuinte cairá na malha fina, o que ninguém deseja, não é mesmo?

Declarar despesas domésticas se for autônomo e trabalhar em casa

Os profissionais autônomos que tiverem gastos relacionados com a atividade profissional podem deduzir eles no Imposto de Renda, desde que estejam inscritos no livro-caixa. Alguns exemplos de despesas são aluguel de escritório, material de trabalho, água, luz, telefone, entre outros. Quem trabalha em casa tem o direito de deduzir até um quinto de todos esses gastos. Vale lembrar que não são dedutíveis despesas relacionadas à conservação, recuperação e reparos do imóvel.

Não fazer a declaração em conjunto com o cônjuge

Os indivíduos que declaram o Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) em conjunto com o cônjuge restituem menos tributo. Isso porque, nessas situações, a renda tributável é somada e aumentam-se as chances de a pessoa pular para uma faixa superior de alíquota. Por outro lado, se a declaração for feita de forma individual, cada um terá isenção do IR se tiverem ganhos anuais de até R$28.559,70 ou R$ 142.798,50 no caso de atividade rural.

O prazo para fazer a declaração do IR já está andamento. Por isso, é importante estar informado sobre as principais mudanças e como declarar o tributo corretamente e não ter problemas futuros com o fisco. Também é fundamental não deixar de fazer o procedimento de última hora, pois você poderá declarar o Imposto de Renda sem maiores preocupações.

Você gostou deste post sobre o programa Imposto de Renda? Faça agora o download gratuito do aplicativo para análise do IRPF, conheça as funcionalidades do software e veja como ele pode ajudar nesse procedimento. O aplicativo está disponível nos sistemas iOs e Android!

Como funciona a plataforma para a análise da declaração de Imposto de Renda?

A análise da declaração de imposto de renda faz uma leitura apurada de todas as informações presentes na declaração, após esse processo é gerado um relatório com todos os erros e inconsistências que poderiam levar o contribuinte a ser retido na malha fina.

Os mecanismos de análise vão muito além e também oferecem ao contribuinte uma série de orientações que podem maximizar as chances de pagar menos imposto de renda ou aumentar a restituição.

Como fazer a análise da declaração de IRPF 2019?

A análise da sua declaração de imposto de renda 2019 na plataforma IR sem Erro é feita em poucos passos. Confira como:

  • baixe o Programa da Receita;
  • faça sua declaração de IRPF e não envie;
  • analise sua declaração na plataforma IR sem Erro. Identifique erros e inconsistências que podem levar você a ser retido na malha fina;
  • corrija os erros e inconsistências e submeta novamente a análise até zerar todos os erros.

Quais são os recursos disponíveis na plataforma de análise IR sem erro?

O IR sem Erro oferece total assistência ao contribuinte antes, durante e após a declaração de imposto de renda. Tudo para garantir maior segurança nas suas informações enviadas para Receita. Confira!

Pré-declaração

  • documentos da declaração de IRPF: através do você fotografa, envia os documentos que irá usar na declaração de IRPF e ele já organiza tudo para você;
  • compartilhado em família: além dos seus documentos de IR você também pode separar a documentação de outros declarantes da família dentro do seu app;
  • diagnóstico: análise da declaração de IRPF do ano anterior com dicas para reduzir o imposto ou aumentar a restituição no ano seguinte;
  • precisão: leitura e validação da declaração de IRPF a entregar do ano corrente e relatório dos problemas encontrados e grau de severidade.

Pós-Declaração

  • pesquisas: o sistema realiza pesquisas diárias e notifica via app qualquer alteração no status da sua declaração na Receita;
  • malha fina: o app notifica o contribuinte em caso de declaração retida na malha fina;
  • a liberação de lote: acompanhe a liberação de lote da restituição diretamente pelo aplicativo IR sem Erro.
Powered by Rock Convert
Categorias: IRPF 2019

Diana Hada

Produtora de conteúdo do IR sem Erro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *