Estar em dívida com a Receita Federal, devido ao atraso do pagamento do IRPF pode gerar uma série de transtornos na sua vida cotidiana. Por causa disso, o órgão fiscalizador oferece a possibilidade do contribuinte parcelar o Imposto de Renda e evitar a malha fina.

Dessa forma o cidadão fica com a situação regularizada com o fisco e não corre o risco de cair na malha fina. 

O parcelamento pode ser uma boa solução para muitas pessoas. Pensando nisso, neste post explicamos como funciona o financiamento e destacamos em quais situações vale a pena efetuar o procedimento. Acompanhe!

parcelar o imposto de renda

Quais são as regras do parcelamento?

Existem duas formas de negociação do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física). Em ambas há a incidência da taxa Selic, que atualmente é de 6,5% ao ano. Dentre as opções disponíveis de financiamento estão:

  1. pagamento de 20% à vista e o restante parcelado em até 60 parcelas;
  2. pagamento de 6% à vista no primeiro ano, 7,2% no segundo e 8,4% no terceiro. Na sequência, o restante dividido em até 84 vezes.

O valor da prestação mínima é de R$ 50 para pessoas físicas. Além de estar com os compromissos em dia, é preciso retirar qualquer ação de contestação contra a Receita em relação aos débitos.

Também vale destacar ainda que o não pagamento de três prestações, de maneira seguida ou não, leva ao cancelamento do financiamento.

Como parcelar o Imposto de Renda?

O procedimento é bem simples e não há muitas burocracias. Primeiramente, você vai na área “Cidadão” no site da Receita Federal e escolhe o modelo de pagamento. Existem duas formas disponíveis: débito automático ou por meio da emissão do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF).

Depois de cadastrar na página o seu número do CPF, a data de nascimento e o título eleitor, será gerado um código de acesso.

Então, com essa informação será possível negociar os valores, definir o parcelamento e, na sequência, realizar a impressão da guia de pagamento. Entretanto, vale lembrar que, no caso de atrasos, haverá a cobrança de multa — de 1% ao mês sobre a quantia devida e pode chegar ao limite de 20%.

Quando vale a pena fazer o parcelamento do tributo?

No momento de escolher a fórmula adequada, é muito importante fazer uma avaliação da sua situação financeira. Por isso, em muitas ocasiões vale a pena fazer o pagamento à vista, mas nem sempre isso é possível.

Algumas vezes o valor do tributo compromete o orçamento da família. Assim, a melhor providência a ser feita é realizar o parcelamento para não acumular dívidas, estar em dia com o fisco e evitar futuras dores de cabeça.

O parcelamento do Imposto de Renda é uma ótima solução! Além disso, também evita que muitas pessoas caiam na malha fina

Assim, o financiamento é uma boa ideia quando o valor do tributo pode comprometer as finanças da sua família. Além disso, com a realização do procedimento você não terá mais pendências com o fisco e estará mais tranquilo.

Então, conseguiu entender melhor como parcelar o Imposto de Renda? Siga-nos nas redes sociais e receba mais conteúdos como este em primeira mão! Estamos no Facebook, no LinkedIn, no YouTube e no Instagram.

Categorias: Malha fina

Diana Hada

Produtora de conteúdo do IR sem Erro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *