Decepcionados com a restituição de Imposto de Renda recebida anualmente, os contribuinte procuram meios de aumenta-la todos os anos. Por isso, separamos nesse artigo
as dicas para aumentar a restituição!

Todos os anos mais contribuintes querem que maior parte do seu dinheiro retorne. A restituição do Imposto de Renda nada mais é que a devolução de parte do imposto que foi pago a mais à Refeita Federal.

Portanto, se os tributos pagos referentes ao IRPF forem maior que o valor presente na declaração, o contribuinte terá um saldo a ser restituído.

Como aumentar a restituição?

Você pode conseguir uma restituição maior usando as regras da própria Receita Federal. Isso é feito aplicando os descontos legais.

Os casos mais comuns de restituição estão ligados a gastos médicos e educação. Portanto, se você tem altas despesas com algum destes itens existe uma grande possibilidade de ser restituído. 

Lembrando que é muito importante guardar todos os comprovantes. Sejam eles, gastos com educação e saúde, além de doações feitas ao longo do ano e outras. Confira algumas dicas:

Documentos

Todo contribuinte sabe a importância de armazenar os documentos, pois essa prática garante uma declaração de IR mais consistente e eventualmente diminui a possibilidade de malha fina. 

Entretanto documentos referentes a despesas médicas, pensões alimentícias e judiciais podem ajudar no aumento da restituição.

Para isso acontecer é importantíssimo que as informações destas despesas estejam o mais de acordo com a realidade quando forem entregues para a Receita.

Dicas para Aumentar a Restituição

Rascunho

Fazer o rascunho de IR pode aumentar as chances de garantir a restituição. Parar preencher o rascunho do imposto de renda, o contribuinte pode baixar o aplicativo da Receita Federal. O app tem versões disponíveis para Android e iOS, podendo ser baixado em smartphones ou tablets.

Não declare em conjunto com seu cônjuge

Ao declarar em conjunto, a receita tributável dos cônjuges é somada, e as suas chances de pular para uma faixa maior de tributação do IR aumentam. Já ao fazer a declaração individualmente, cada um tem uma isenção de até R$:28.559,70 reais sobre a renda tributável (válida para o ano-calendário de 2019).

Portanto, declarar em conjunto só é vantajoso quando um dos cônjuges tem pouca ou nenhuma renda tributável, de forma que a sua inclusão na declaração não altere a alíquota de imposto a ser paga. Normalmente isso acontece quando um dos cônjuges possui renda isenta e muitas despesas dedutíveis, como no caso de um dos dois não ter emprego fixo e ter altas despesas médicas.

De todo modo, para checar se é melhor declarar separadamente ou em conjunto, é possível preencher a declaração das duas formas e observar, no quadro que fica no canto inferior esquerdo do programa do IR, se a inclusão do dependente gera mais imposto a pagar ou uma restituição menor !

Previdência Privada

Caso o declarante queira abater o plano de previdência privada, em primeiro lugar, é valido relembrar que isso só acontece no modelo PGBL. Entretanto, o limite máximo é de 12% do valor tributável. Essa prática também é dedutível para declarantes que já contribuem com outros sistemas previdenciários.

Empregados domésticos

Se você tem empregados domésticos registrados que trabalham na sua casa, é possível lançar os valores pagos ao INSS. Deste modo o valor pode ser destinado ao IR pago.

Powered by Rock Convert


Categorias: Restituição

Henrique Mattos

Produtor de conteúdo no IR sem Erro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *