Análise da declaração de IRPF: antes de mais nada, você deve estar se perguntando o que é isso, certo? Independentemente do seu grau de familiaridade com o assunto, é essencial ter informações confiáveis e atualizadas sobre a análise de IRPF.

No menu abaixo você encontrará uma sequência de tópicos para navegar com mais facilidade ao longo do artigo. Ao final, você terá encontrado sua nova fonte de informação sobre Imposto de Renda — além da melhor chance de transformar a sua relação com o Leão!

Antes de falarmos sobre a análise da declaração de IRPF, vamos entender alguns conceitos básicos?

O que é IRPF?

Segundo a definição da Wikipedia, IRPF é a abreviação para: “imposto federal que incide sobre toda pessoa física que tenha tido um ganho acima de um teto determinado pela Receita. Por isso o contribuinte deve informar anualmente os ganhos do ano anterior (em 2018, os ganhos de 2017, por exemplo), para apuração e possível restituição”.

Entre os meses de março a abril, os contribuintes que não se encaixam na faixa de isenção, devem declarar seus rendimentos. Dessa forma, é possível fazer os cálculo dos tributos pagos e a avaliação de uma possível restituição.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Siglas comuns no imposto de renda

Conhecer as principais siglas e os termos citados no período de declaração e que são utilizados pelos meios de comunicação do país permite que você entenda os comentários no Facebook, os vídeos no YouTube e as fotos no Instagram sobre Imposto de Renda.

  • IR: Imposto de Renda.
  • IRPF: Imposto de Renda de Pessoa Física.
  • DIRPF: Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física.
  • Ano-calendário: ano de referência para os recebimentos e as despesas do Imposto de Renda. No caso do Imposto de Renda de 2018, as informações são referentes ao ano-calendário de 2017.
  • Dívidas e ônus reais: qualquer tipo de dívida ou empréstimo que o contribuinte tenha no país ou no exterior. Pode ter sido contraída de pessoa física ou de empresa.
  • Espólio: conjunto de bens, direitos, rendimentos e obrigações da pessoa morta.
  • Ganho de capital: lucro de uma operação de venda ou transferência de um bem ou direito, desconsiderando-se qualquer desconto decorrente da inflação.
  • Rendimentos tributáveis: incluem salário, aposentadoria, pensões e dinheiro ganho com prestação de serviços e aluguel.
  • Rendimentos tributáveis exclusivamente na fonte: rendas e ganhos que sofrem tributação de IR só no momento do recebimento. Por isso, o imposto pago não é afetado de forma alguma pela declaração anual (por exemplo: décimo terceiro salário e ganhos na loteria).

Naturalmente, quanto mais você souber, mais preparado estará para a declaração de IRPF 2019.

O que pode ser deduzido na declaração?

As categorias de despesas que podem ser deduzidas na declaração são diversas. É importante pontuar os dois tipos de declarações existentes — ambos são pautadas no tipo de dedução escolhida pelo contribuinte.

  • Declaração completa: nesse caso, é possível reduzir despesas de saúde, educacionais, médicas, de dependentes etc.
  • Declaração simplificada: consiste na dedução fixa de até 20% sobre os rendimentos tributáveis. O limite estabelecido em 2017 foi de R$ 16.754,34.

Com o propósito de reduzir a base do cálculo, despesas médicas, de educação e algumas outras podem ser abatidas do IR.

É importante contar com uma análise da declaração de IRPF, afinal, ela pode informar detalhadamente sobre despesas que podem ser deduzidas no caso de esquecimento ou de desconhecimento do contribuinte.

Aplicativo para Análise do Imposto de Renda

   Aplicativo para Análise do Imposto de Renda Aplicativo para Análise do Imposto de Renda

Qual é o período de declaração?

Todo ano o Ministério da Fazenda libera as datas inicial e final para a entrega da declaração de IRPF. O período compreende o primeiro dia útil do mês de março e é finalizado às 23 horas e 59 minutos do último dia útil do mês de abril. Em 2018, o período de entrega da declaração foi de 2 de março a 30 de abril.

Quais são os documentos necessários para declaração de IRPF?

Para declarar o Imposto de Renda 2019 é necessário ter armazenado e organizado uma relação de documentos:

  • última declaração de IR — caso não tenha declarado seu Imposto de Renda no último ano, será necessário seu título eleitoral;
  • informe de rendimentos como empregador ou da empresa em que você é sócio;
  • informe de rendimentos dos bancos — lembrando que os informes de previdência privada não são disponibilizados juntamente aos rendimentos, então você deve solicitar um informe específico à parte;
  • fichas de bens de direito — como imóveis, veículos e aplicações financeiras;
  • comprovantes de despesas dedutíveis — recibos médicos, odontológicos, de plano de saúde em geral, educação e doações;

Existem outros documentos que poderão ser necessários para as deduções de gastos e despesas mais complexas, como rendimentos de processos judiciais, contribuição do INSS para empregados domésticos, adição de dependentes e notas fiscais para trabalhadores autônomos.

Se você tem dúvidas sobre as medidas cabíveis para reduzir o imposto, aumentar a restituição ou minimizar o risco de cair na malha fina, consulte um membro da nossa equipe para obter ajuda.

Como funciona a restituição do Imposto de Renda?

Por acaso você sabia que pode ter de volta parte do valor pago em tributos? Ao longo do ano o contribuinte paga diversas taxas, e a restituição é justamente o ressarcimento pela cobrança excessiva de impostos pagos.

Depois da entrega da declaração do Imposto de Renda, é feito o cálculo da restituição. A partir dela, a Receita Federal informará por e-mail se for o caso de você ter direito a uma restituição. Vale lembrar que o limite da RFB para a entrega das restituições é até dezembro do ano da declaração.

O que é a malha fina?

A malha fina é uma amostragem de declarações avaliadas com muito cuidado pela Receita Federal na busca por erros. Para evitar o risco, confira o nosso artigo com dicas para não cair na malha fina. Caso você tenha já esteja retido, é possível seguir dois caminhos.

Pequenas irregularidades

O contribuinte deve entrar diretamente no Portal do e-CAC para a correção das informações inconsistentes.

Inclusão ou exclusão de informações

Nesse caso é necessário preencher uma declaração de retificação do Imposto de Renda. Feito isso, os dados irregulares serão corrigidos no sistema da Receita Federal.

Por que a análise da declaração de IRPF é importante?

A análise da declaração de IRPF permite um controle maior sobre a sua vida financeira. Se você já ficou retido na malha fina, sabe a dor que é. Se não ficou, não vai querer saber. Já passou o tempo em que o Leão ditava todas as regras desse jogo.

Agora é possível ter mais autonomia com as plataformas de análise da declaração de IRPF. Por meio delas você torna o processo mais organizado, inteligente e justo. Quer saber como funciona? É simples.

Veja um exemplo da análise resumida:

analise da declaracao de irpf 2019

Antes da entrega da declaração de IRPF à Receita, você submete sua declaração de IR a um software de análise. Logo em seguida será emitido um diagnóstico com dicas para:

  • reduzir o imposto;
  • ou aumentar a restituição;
  • e minimizar os riscos de cair na malha fina.

Como acompanhar o extrato do Imposto de Renda?

Depois do momento em que você realiza a declaração do tributo, é possível acompanhar o processamento por meio do Extrato da Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física.

Por meio desse documento é possível verificar se a declaração foi processada, se ainda está em análise, se o pagamento das cotas está certo ou se existe alguma pendência.

Vale lembrar que, para ter acesso a esse extrato, é necessário gerar um código no site da Receita Federal por meio do Portal e-CAC (Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte). Nessa página, você informará apenas o seu CPF ou CNPJ.

Informando esses dados, o contribuinte já consegue realizar a consulta do extrato. As principais situações apresentadas no documento são:

  • em processamento — a declaração foi recebida, mas o processamento ainda não está concluído;
  • fila de restituição — indica que o contribuinte tem direito à restituição do tributo, mas o valor referente à devolução não está disponível na sua conta bancária. Vale lembrar que para ter direito ao benefício, a pessoas não pode ter pendências na Receita Federal;
  • processada — indica que a declaração foi recebida pelo órgão fiscalizador e teve o seu processamento finalizado;
  • com pendências — isso significa que durante a fase do processamento da declaração foram encontradas algumas pendências. Nessa situação será necessário regularizar as pendências;
  • em análise — nesse caso a declaração foi recebida, está na base de dados da Receita Federal e aguarda apresentação de documentos solicitados ao contribuinte via intimação ou o término da análise documentação entregue pelo cidadão;
  • retificada — significa que a última declaração foi trocada integralmente por uma declaração retificadora apresentada pelo contribuinte;
  • cancelada — indica que o documento foi cancelado por interesse do contribuinte ou da administração tributária. Dessa maneira, a declaração deixa de ter os seus efeitos legais;
  • tratamento manual — a documentação está sendo analisada e é necessário aguardar o contato na Receita Federal por correspondência.

Quais são os benefícios de realizar a análise?

A análise e o envio da declaração do Imposto de Renda, se forem feitos de maneira antecipada, evitam várias dores de cabeça. As pessoas que têm o costume de se antecipar evitam erros no momento da declaração e, consequentemente, diminuem as chances de cair na malha fina.

Além disso, as ferramentas de análise possibilitam que os contribuintes realizem diferentes simulações e projeções de movimentações financeiras, sabendo qual será o impacto delas na declaração do próximo ano.

Tudo isso ajuda que os cidadãos tomem decisões mais seguras em relação à declaração do Imposto de Renda.

Aplicativo para Análise do Imposto de Renda

   Aplicativo para Análise do Imposto de Renda Aplicativo para Análise do Imposto de Renda

Quais são as ferramentas necessárias para fazer a análise?

Basta ter o e-CPF ou o certificado digital para ter acesso ao portal e-CAC — ferramenta utilizada para fazer a análise. Por meio dela é possível recuperar todas as declarações entregues nos últimos 5 anos.

Ainda há a possibilidade de retificar os documentos entregues no mesmo período, regularizar a situação fiscal se você cair na malha fina e conseguir o acesso à declaração pré-preenchida.

Como otimizar a declaração de imposto de renda?

Primeiramente você deve querer uma possibilidade real de diminuir o valor arrecadado pela Receita, certo? Para que você tenha mais segurança e informações corretas sobre o seu dinheiro, existe a análise da declaração de IRPF.

Desse modo, os conceitos de tecnologia, ajuda financeira e mobilidade foram unidos, para transformar a sua relação com o Leão!

Estão esclarecidas as suas principais dúvidas em relação à análise da declaração de IRPF? Está interessado em saber mais sobre o assunto? Leia este artigo e veja como você pode reduzir o valor a ser pago desse tributo de maneira legal.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *